ola

Menu

sábado, 27 de setembro de 2014

Período de divisões de enxames

[Figura-1] Ninho com pedaços de cera ( apoio dos discos )
Bom pessoal estamos na estação da Primavera, período onde aproveitamos para fazer as multiplicações / divisões dos enxames de ASF ( Abelhas Sem Ferrão ), a qual se estende até o Verão.

Procuramos fazer as divisões nessas estações justamente pelo fato das mesmas estarem adequadas para isso, ou seja, maior quantidade de pólen e néctar, clima mais favorável ( quente ).




[Figura-2] Melgueira equipada
Para fazermos uma divisão bem feita e obtermos sucesso, é preciso antes de tudo fazer o seguinte:
1) ter planejamento;
2) manusear o enxame com calma;
3) dedicar tempo pra isso ( divisão )

Vamos discutir cada item acima:
1) Ter planejamento:
Significa que você precisa ter em mente exatamente o que é preciso fazer e como fazer.
Quais ferramentas é preciso estar a sua disposição caso necessite e local sem interrupção.
Exatamente o que fazer é fácil, é escolher os discos maduros e retira-los para depois colocar na caixa vazia.
[Figura-3] Extensão ninho equipado com potes vazios

 Preparar a caixa vazia:
Sim, o planejamento também envolve em preparar a caixa vazia antes de tudo, ou seja, equipar o ninho com pedaços de cera para apoiar os discos maduros. Colocar alguns potes vazios ( veja figura-1 ) equipar a melgueira ( figura-2 ) com recipiente para colocar alimento, caça forideo já equipado e potes vazios para que as abelhas possam usar para colocar polen ou mel, ou simplesmente desmancha-los para usar em outro  local  ( cobertura dos discos por exemplo ). Equipar as extensões do ninho com potes vazios   ( figura-3 ).
[Figura-4] Acessórios de apoio

Ferramentas de apoio:
Sem ferramentas não vamos conseguir muita coisa na hora da divisão, portanto é importantíssimo te-los perto de você.

Quais ferramentas:
Faca, formão, seringa para coletar mel, vasilha para colocar mel, fita adesiva, papel toalha, extensão de ninho vazio ( para apoiar os modulos que você vai desmontar da caixa mãe ).

Já imaginou você retirando os módulos e de repente um pote de mel arrebenta:
pronto, a seringa te ajuda a colher esse mel antes que ele derrame e lambuze todo o ninho e o papel toalha ajuda também.
[Figura-5] Caixa mãe

Percebeu que as ferramentas de apoio é importante !!!

2) Manusear o enxame com calma:
Para trabalharmos com enxames é preciso ter tempo e disposição.
Procure uma caixa cujos discos de cria maduros estejam em cima ( perto da tampa ), caso contrario você terá que rasgar todo o ninho para buscar os discos maduros lá embaixo e isso vai ser um transtorno muito grande. E manusea-lo com calma, carinho e paciência,  sem danificar as crias e aquelas que ficarem expostas, deve ser descartadas, para evitar de atrair os forídeos.

3) Dedicar tempo para isso  ( divisão ):
Sim, imaginou você fazendo uma divisão e de repente o seu celular toca, esquece, deixa com seus familiares e avisa que não pode ser interrompido por algumas horas.
Outro dia estava eu fazendo uma divisão e o nosso cachorrinho de estimação ficou perto de mim querendo que eu jogasse bola com ele, ou seja, ele ficava batendo a bola para todos os lados e se por acaso a bola batesse nas caixas, pois é, acidentes acontecem, portanto, temos que dedicar tempo para isso, vai fazer divisão, então se planeje e programe para isso.

Pode ter certeza, se você seguir essas orientações, a chance da divisão dar certo é muito grande.

Grande abraço e muito sucesso pra você.



sábado, 20 de setembro de 2014

Jatais se enxameando

[Figura-1] Abelhas Jatais ( machos )
Primavera chegando ( 23/Setembro/14 ), aparecimento de floradas, pólen em grande quantidade, e nossas amigas ASF ( Abelhas Sem Ferrão ) com certeza já estão se movimentando para esse momento único ( Primavera ) ou seja, estão realizando enxameamentos para garantir a sobrevivência da espécie ( multiplicação de enxames naturalmente, na natureza ).

Porém, nós estamos contribuindo nesse quesito, ou seja, também ajudamos, simplesmente realizando as divisões e assegurando que as mesmas ( divisões ) se prosperem.
[´Figura-2] Caixa racional para Jatai
Isso mesmo, não basta apenas realizar uma divisão, temos que acompanhar todo o processo de desenvolvimento até que o enxame se encontre fortalecido, e quando ele chegar nesse estágio, podemos deixar a segurança por conta deles.

Vejam na figura-1, quantas abelhas Jatais aglomeradas na parede, na verdade são zangões se preparando para fecundar a princesa que está dentro da caixa e depois formar um outro enxame, cuja moradia já está determinada.

[Figura-3] Jatais esvoaçando




Nessa época do ano ( entrada da Primavera ) é muito comum esse fenômeno acontecer, todas as espécies realizam as multiplicações, cada uma com sua particularidade.

No caso da espécie Jatai, podemos apreciar esse momento, pois a forma como o enxameamento acontece, é muito bonito de se ver.
São milhares de abelhas que ficam voando em volta da caixa, são tantas que parece uma nuvem.








[Foto-4] Mais Jatais
Impressionante, quando o processo de enxameamento termina ( abelhas esvoaçando ), a caixa mãe fica com a entrada praticamente destruida. Elas levam a cera do bico embora ( nova moradia ).
Mas depois de alguns dias a movimentação volta a se normalizar na caixa mãe ( é a natureza fazendo sua parte ).

É importante observar que durante esse processo de enxameamento, as abelhas que foram para a caixa filha, ainda continuam buscando material de trabalho na caixa mãe, Portanto, caso note um enxameamento, não mexa na caixa mãe ( de onde saiu o enxameamento ) pelo menos um mês. Caso ocorra interferência o novo enxame poderá sofrer e não vingar.

São detalhes que passam despercebido, e é importante entendê-lo para que possamos fazer as coisas de forma correta.

É aquilo que sempre digo:
"primeiro temos que entender como as coisas funcionam para depois trabalhar com elas". 

E isso se aplica às abelhas também, precisamos entender como é o modo de vida delas para podermos ajuda-las.

Grande abraço e muito sucesso pra você.


terça-feira, 9 de setembro de 2014

Algumas fotos de enxames de ASF

[Figura-1] Caixa contendo Mandaçaia
A figura-1 nos mostra um enxame de Mandaçaia alojada em uma caixa racional modelo PNN com algumas modificações.

E o manjericão fazendo sua parte no processo de alimentação ( pasto apícola ).










[Figura-2] Enxame de Jatai ( Minha predileta )
Na figura-2 podemos visualizar um enxame de Jatai debaixo da sombra de é de boldo.  Elas gostam das flores do boldo, inclusive as Borás visitam com frequência, dentre outras variedades de espécies voadoras.










[Figura-3] Enxame de Uruçu Verdadeira

Também debaixo do é de boldo ( figura-3 ), está uma caixa INPA 20x20 contendo um enxame de Uruçu Verdadeira, cuja caixa contempla a proteção de entrada e protegida do sol pelo telhado de madeira.










[Figura-4] Enxames de Mandaguari Preta

Uma das espécies muito bacana de se criar é a Mandaguari Preta ou Amarela.
É uma espécie contendo uma população numerosa e isso as torna altamente defensivas, caso um forideo consiga entrar na caixa, ele não vê a hora de sair, o enxame lá dentro fica fervendo, de tantas abelhas. Portanto para os forideos não tem vez.

É isso, criar abelhas sem ferrão é acima de tudo uma arte muito prazerosa e ao mesmo tempo estamos contribuindo com a natureza: preservação da espécie.

Grande abraço e muito sucesso pra você.


quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Mandaguari Amarela


[Figura-1] Abelha Mandaguari no cabelo
Uma das espécies de abelhas sem ferrão que gosto de manusear, dar manutenção, fazer divisões é sem dúvidas a Mandaguari, preta ou amarela.

O enxame geralmente é muito forte, pois é composto por vários indivíduos ( abelhas ) e isso traz uma revoada bem grande e a pessoa que não tem habilidade / intimidade com elas acaba se intimidando.  

Vejam na figura-1, elas gostam de fazer "cafuné" na cabeça da gente.

[Figura-2] Entrada da Mandaguari ( enxame novo )
Todas as espécies de ASF tem suas características próprias e bem definidas, umas são bem tímidas, são em pequeno números de indivíduos, outras mais agressivas, outras bem mansas.

Porém com a Mandaguari, a coisa é um pouco diferente, ela é rústica, resistente aos forideos e estão prontas para o que der e vier.

Por isso que eu as crio em meu Meliponario, pois gosto de ve-las esvoaçando em volta da caixa, fazendo a guarda.

E o produto final delas:
  • produz um mel delicioso;
  • produz muito própolis de boa qualidade.
Quanto ao processo de criação:
  • abelha rústica e resistente;
  • enxame populoso;
  • de facil adaptação.