ola

Menu

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Armadilha caça forídeo.

[Figura-1] Recipiente com furos na tampa
Quando o assunto é forideo, todos começam a ficar preocupados.

E com razão, ele é o maior inimigo que temos no mundo da Meliponicultura, sim temos outros inimigos, mas ele ( forideo ) é pior deles, é destruidor.

Mas se soubermos lidar com essa situação, podemos sim controlar o ataque, quando ele existe e defender a colonia.

Uma das técnicas bastante conhecida é a utilização de um recipiente contendo vinagre de maça, o qual contém pequenos furos na tampa permitindo dessa forma a passagem dos forideos, que são minusculos, mas as abelhas não conseguem passar. É um método bastante eficiente.

[Figura-2] Recipiente montado
 Na figura-1 vemos o recipiente preparado para receber o vinagre e na figura-2 podemos visualizar o recipiente equipado.

Uma vez colocado o recipiente ( equipado ) dentro da caixa racional, vamos ter um pequenino problema:
com o tempo as abelhas vão propolizar todos os furinhos e a armadilha deixa de ser funcional e os forideos vão fazer a festa.

Bom, como evitar que as abelhas propolizem os furinhos.

Simples, basta colocar um obstáculo entre os furos e as abelhas. 

De que forma ?

[Figura-3] Recipiente contendo obstáculo para as abelhas

 Vejam na figura-3 uma das maneiras para se fazer isso.  Basta colocar uma tampa, que pode ser de papelão, plástico ou outro material que não seja nocivo para as abelhas e cortar do tamanho do recipiente e colocar em cima e para dar espaço para os forideos entrarem, basta colocar pequenas bolotinhas de cera para apoiar essa tampinha.

Dessa forma os forideos conseguem entrar, mas as abelhas não, devido o pequeno espaço que ficou.

Pronto, dessa forma conseguimos deixar nossa armadilha sempre funcional, bastando trocar o vinagre todo final de semana, pois o vinagre com o passar do tempo evapora.

Utilizando esse método, fico mais tranquilo, pois tenho certeza de que se a armadilha precisar entrar em ação, ela vai funcionar.

Grande abraço e muito sucesso pra vocês.



sexta-feira, 18 de abril de 2014

Enxane de Mandaçaia sendo dividido

[Figura-1] Caixa matriz ( Mandaçaia )
Bom, todos sabemos que para fazer uma divisão de enxame de Mandaçaia precisamos seguir algumas regras, as quais são:

1) escolher um enxame forte;
2) ter outro enxame para doar as campeiras;
3) que tenha sol e sem muito vento.

Pronto, facil, não é !!!

Agora resta um pouco de prática e pronto, a divisão está feita.

Então vamos detalhar um pouco como é o processo da divisão em si.
Na figura-1 podemos ver a caixa matriz, esta caixa foi escolhida justamente porque os discos maduros encontram-se na parte superior da caixa, poderia ser outra caixa, sim, poderia, mas trabalhando dessa forma ( retirando os discos maduros na parte de cima ) fica mais fácil e seguro.

[Figura-2] Momento em que a caixa está sendo aberta
Vejam na figura-2 o exato momento em que a caixa matriz está sendo aberta.

Nessa figura ( figura-2 ) vemos que os discos maduros estão praticamente quase que "grudados" na tampa da caixa,

Perceberam como fica muito fácil a multiplicação, a partir do momento em que escolhemos um enxame cujos discos de cria maduros se encontram na parte superior !

Fica muito mais fácil e seguro retirar esses discos e montar uma nova caixa.

Agora imaginem se os discos maduros estivessem na parte inferior e mesmo assim eu insistisse em fazer a divisão !  Podem ter certeza de que seria mais difícil, pois teria que retirar todo o ninho pra fora da caixa para ter acesso aos discos maduros, e é nesse momento que as coisas podem se complicar. Pode ocorrer um rompimento de pote de mel ou pote de pólen, sem contar o estresse que vamos provocar nas abelhas.

[Figura-3] Caixa sendo aberta
Isso que está sendo relatado aqui, é prática, fazemos tantas divisões que procuramos a maneira mais fácil e segura de faze-las.

Pra isso é preciso ficar namorando os enxames, para verificar como estão os discos na parte superior, se já estão maduros, ou se estão verdes, anotar a data da vistoria para saber quando poder abrir novamente e ter certeza de que irá encontrar discos maduros em cima ( estou falando de monitoramento ).




[figura-4] Caixa preparada para receber a divisão
O próximo passo é transferir os discos maduros ( 2 a 3 discos ) para uma caixa nova. Essa caixa que vai receber os discos, tem que estar preparada antes da abertura da caixa matriz, pois quanto menos tempo gastar na divisão, melhor.

Vejam na figura-4 uma caixa já preparada para receber os discos de cria.  Essa caixa contém os seguintes ítens:

1) potes pré-moldados:
     serve para que as abelhas depositarem pólen ou mel
2) pequenas "bolotas" de cera no fundo da caixa:
    serve para apoiar os discos de cria, e também para que
    as abelhas possam dar manutenção por baixo   dos
    discos
3) recipiente de plástico:
     serve para colocar o alimento artificial para as abelhas.


A caixa da figura-4 é o modelo PNN simplificado, a qual contém duas partes com o ninho central.
É uma caixa bastante prática.

Caso seja necessário, coloca-se mais um ítem que é a armadilha para forídeo.

Depois é só colocar a caixa filha no lugar de outra caixa que vai doar as campeiras, finalizando dessa forma a multiplicação.

É isso pessoal, quanto mais você pratica, mais experiente vai ficando.

Grande abraço e muito sucesso pra você.