ola

Menu

domingo, 27 de janeiro de 2013

Algumas fotos

[Figura-1] Caixa de Mandaçaia Q. Anthidioides
Hoje estarei postando algumas fotos de caixas que foram recem divididas, estes enxames estão em fase de desenvolvimento, os quais estão recebendo os cuidados necessários até o seu fortalecimento.

Na figura-1 podemos ver uma das caixas de Mandaçaia Q. Anthidioides, este enxame já está estabilizado ( com rainha ).






[Figura-2] Caixa de Mandaçaia Q. Anthidioides
Na atividade de Meliponicultura é isso, passamos por um período de multiplicação de enxames, avançamos para a proxima etapa que é monitoração e acompanhamento dos mesmos. E uma etapa mais avançada que consiste em ter o enxame já pronto o qual terá um destino conforme seu objetivo ( novas multiplicações, venda, coleta de mel, etc ).







[Figura-3] Caixa de Jatai
Procuro sempre integrar as abelhas com a natureza, colocando as caixas proximo de plantas frutiferas e meliferas, para que elas possam se sentir o mais proximo possivel de seu habitat.











[Figura-4] Entrada de uma das caixas de Jatai
A figura-4 nos mostra a entrada de uma das caixas da Abelha Jatai, podemos observar que existem muitas abelhas na entrada ( abelhas guardas ), esse aglomerado de abelhas indica que o enxame está forte e saudavel.

Já estamos em Janeiro, e as atividades que envolvem abelhas já começa o processo de desaceleração, ou seja, logo vamos entrar no Outono ( 21/Março  à 21/Junho ) e as abelhas precisam estar preparadas para entrar nessa Estação, com grandes reservas de mel e polem, por isso se manusearem os enxames nesse periodo, fiquem bem atentos e reforcem o monitoramento, para que elas não tenham surpresas e se enfraqueçam.

Essa é uma atividade muito prazerosa : Meliponicultura, "A arte de se lidar com as Abelhas Sem Ferrão".

Grande abraço e muito sucesso pra vocês.

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Entrada da Mandaçaia ( ajuda inicial )

[Figura-1] Entrada da Mandaçaia com redução
Já ouviram aquela famosa frase:
"Na Natureza nada se perde, e sim tudo se transforma".

Pois vamos aplicar esse conceito aqui em nossas atividades de divisão de Mandaçaia ou outra especie qualquer de ASF.

Quando fazemos inspeção em caixas racionais ou preparando para divisões, dependendo da idade do enxame, este pode conter uma quantidade de geopropolis acumulada em determinadas partes da caixa e muitas vezes somos obrigados a retira-lo para que nossa atividade possa ser concluida com sucesso ( abrir espaço para ter acesso aos discos de cria, por exemplo ).

Se retirar esse geopropolis, não jogue fora, guarde-o em um recipiente e adicione alcool e deixa "macerando". Esse composto poderá servir para passar nas futuras caixas que você irá usar nas divisões, deixando o interior da caixa com o cheiro caracteristico daquela especie, no caso, Mandaçaia.

[Figura-2] Geopropolis pronto para calafetar frestas
Vejam na figura-1, usamos o geopropolis ( restos que sobrou da maceração ) para reduzir o tamanho da entrada da caixa de Mandaçaia, o tamanho inicial projetado é de 20 mm ( 2 cm ), reduzimos para 0,8 cm ( 8 mm ).  Isso é feito para que no processo inicial de uma divisão, as abelhas ficam desprotegidas se a entrada estiver com a abertura de 20 mm. Com essa redução, somente uma abelha poderá passar pela entrada e para fazer a "vigia" ficará muito facil pra elas.

Com o passar do tempo elas poderão manusear o tamanho da abetura conforme suas necessidades.

Na figura-2 podemos ver o geopropolis pronto para ser usado na redução. É preciso amassa-lo um pouco para que fique mais mole e fino. Quando estiver colocando o geopropolis, procure usar um pedaço de pau com forma arredondada (como visto na figura-2) e moldar a entrada, enquando o geoproplis ainda está molhado, depois que ele seca, fica mais dificil de fazer o furo, pode ocorrer rachamento da estrutura.

Viram que beleza, "Na Natureza nada se perde e sim tudo se transforma", se jogar fora o geopropolis, você estará perdendo um rico material que as proprias abelhas fizeram.  Esse material você poderá estar usando para fechar alguma fresta nas caixas que por ventura possa aparecer.

Grande abraço e muito sucesso pra vocês.

sábado, 12 de janeiro de 2013

Entrada da colmeia, cuidados durante a divisão

[Figura-1] Caixa INPA para Mandaçaia
Como todos sabemos a entrada da colmeia reflete sua vida interior. Muitas vezes observando o estado em que se encontra a entrada, podemos afirmar se o enxame está bem ou não. A espécie Jatai é um exemplo típico:
se a entrada ( bico de cera ) estiver muito estreito e escuro, podemos afirmar que a colmeia está fraca e passando por algum problema interno, nessa hora, temos que intervir com mais afinco e descobrir o que está acontecendo.


Bom, e quando fazemos uma divisão, no caso da especie Mandaçaia, a entrada da caixa é de 20 mm ( 2 cm ), e é fato que no processo da divisão todas as abelhas ficam desorientadas, pois não é por menos, estamos "mexendo" em sua estrutura e retirando parte da mesma.

[Figura-2] Entrada da Mandaçaia
É nesse momento que devemos prestar muita atenção, pois é um momento crucial, de que adianta fazer todo o processo de forma correta que uma divisão impõe se não ajudarmos as abelhas no quesito "entrada da casa" no ato da divisão. É isso mesmo, ajudar para que os inimigos naturais não tenham chance de pertubar o enxame, e isso se consegue reduzindo "temporariamente" a entrada da caixa.





O tamanho relativamente maior do que se costuma encontrar em colônias naturais é proposital, já que possibilita às abelhas moldarem sua entrada – com geoprópolis ou cerume – do tamanho que lhes convém.


[Figura-3] Redutor feito com madeira


Orifícios muito pequenos restringem as possibilidades das abelhas, considerando que as mesmas não são capazes de perfurar a madeira.

Uma das formas de conseguirmos reduzir o tamanho da entrada é usar um pedaço de madeira ( figura-3 ) deixando-o redondo do tamanho da entrada e fazer um furo central, um furo menor onde pode passar apenas uma abelha por vez e introduzir esse redudor na entrada da caixa .


[Figura-4] Entrada equipada com redutor
A figura-4 nos mostra a entrada equipada com o redutor feito de madeira ( uso temporarario ).
Depois que o enxame estiver forte, podemos retirar essa redução e as abelhas irão fechar do tamanho que lhes convier.


Caso você opte por usar cerume, gradativamente, as abelhas irão substituí-lo por outro material de sua preferência.





[Figura-5]
[Figura-6]
[Figura-7]

As figuras 5, 6 e 7 mostram a entrada de uma colmeia sendo reduzido o diametro conforme a necessidade das abelhas.