ola

Menu

sábado, 29 de dezembro de 2012

Resultado da praticidade da caixa racional INPA modificada

[Figura-1] Modulo extensor retirado da caixa Matriz
Nesse verão fabuloso ( tá saindo até fumaça do chão, de tão quente que está ), aproveitei para fazer uma divisão de enxame de Mandaçaia QQ.

Como todos sabem que durante a divisão é costume retirar um modulo extensor e levar pra caixa filha, extensor este que pode ser visto na figura-1. Pois levando o modulo extensor, você garante que na caixa filha terá alimento para as operarias começarem um novo enxame. Porém os potes de polém e mel não podem estar danificados, pois caso contrario você colocará em risco toda a divisão, pois os forideos não perdoam, eles simplesmente arregaçam.

[Figura-2] Caixa Mandaçaia sem o triangulo na parte superior
Pois bem, para garantir que os potes de polém e mel não serão danificados ( estourados ) durante o manuseio ( retirada ), eu fiz uma adaptação na caixa INPA, onde coloquei um fundo na parte superior de cada modulo ( veja na figura-3 ).

Na figura-2 temos a caixa tradicional, conforme foi desenhada pelo seu idealizador. Na parte superior notamos que não existe a proteção.





[Figura-3] Modulos com proteção na parte superior
Vejam a diferença nos modulos extensores olhando as figuras-2  e 3.

O resultado da praticidade dessa adaptação ( colocar proteção na parte superior ) foi notada quando fiz a retirada do modulo para concretizar uma divião, ou seja, retirei o modulo e todos os potes de polem e mel ficaram intactos.

Com a proteção na parte superior, as abelhas quando forem "grudar" alguns potes no fundo do modulo imediatemente superior, vai simplesmente "grudar" na parte superior do seu proprio modulo ( vejam isso na figura-1 )

[Figura-4] Modulo sem a proteção superior
Na figura-4 podemos ver alguns potes de mel que se romperam durante a retirada do modulo, cujo modulo extensor não está provido da proteção superior.

É bastante incomodo quano isso acontece, pois o mel que é derramado em cima do ninho, acaba por dificultar a divisão e os riscos de atrair forideos e formigas começa a aumentar, sem falar no tempo gasto a mais para arrumar e limpar.

Bom, essa é a primeira divisão que faço usando os modulos extensores com proteção na parte superior.  A primeira impressão que tive foi boa, me facilitou muito a tarefa da multiplicação, foi muito rápido, não perdi tempo.  Coloquei os discos maduros no fundo da caixa ( não esquecer de colocar as famosas bolinhas de cera para receber os discos ), feito isso, o ninho recebe esse modulo e melgueira e pronto, a divisão está feita.

Vejam como é realizado a adaptação nos modulos extensores:
Grande abraço e muito sucesso pra você.

sábado, 15 de dezembro de 2012

Caixas pre montadas ( muito facil !!! )

[ Figura-1 ] Caixa modelo INPA para Jatai
Quando falamos em abelhas sem ferrão, logo associamos a imagem de uma caixa racional bem projetada e confeccionada. É isso mesmo, não tem como desasociar uma coisa da outra.

A caixa apresentada na figura-1 é o modelo INPA com dimensões internas de 12x12 cm, com uma altura interna de 14 cm até o fundo da melgueira.
Ou seja, espaço ideal para uma bela rainha Jatai nidificar com sua familia e nos alegrar com seus magestosos vôos ( sem contar que elas são brigonas ).

O projeto em si é único, mas a forma com que executamos traz um diferencial.

[ Figura-2 ] Peças de tamanho único
Na figura-2 podemos ver como as peças são cortadas. Essa é uma das formas de se confeccionar a caixa. A vantagem é que ao colocar a madeira ( tabua ) na bancada de marcenaria para começar o corte, o fato das peças terem o mesmo tamanho e formato, facilita bastante no seu preparo e isso traduz em rapidez de execução: tempo gasto muito menor ( quem trabalha com marcenaria vai entender perfeitamente o que quero dizer ).





[ Figura-3 ] Modo como as peças são agrupadas
Veja na figura-3 como as peças já cortadas são agrupadas ( interligadas ) entre si. Após o fechamento de todas elas, o espaço interno é exatamente 12x12 cm, precisamente 12 cm.

Estão lembrados quando falei logo no início dessa postagem que o projeto é único, mas a forma como ele é executado é que faz o diferencial. E hoje estamos correndo atrás desse conceito para que facilite nosso dia a dia. Estamos constantemente buscando melhorias e novas formas de fazermos o que sabemos, mas de forma diferente.


[ Figura-4 ] Peças sendo encaixadas
Veja como é super facil fazer a junção das peças, a figura-4 ilustra esse momento. A cada peça que vai sendo encaixada, recebe primeiramente uma pequena camada de cola para madeira para depois se unir a outra peça.










[ Figura-5 ] Detalhe do encaixe das peças
Quando a madeira é cortada dentro das especificações do projeto inicial, os encaixes são perfeitos.

Lembrando:
Muitas vezes temos que recalcular todo o corte, dependendo da espessura da madeira. O bom marceneiro pega o projeto no papel e aplica em cima do que ele tem de material, no caso das caixas, quando maior for a espessura da tabua melhor, mas nem sempre encontramos tabuas iguais, sempre tem as variações de alguns milimetros. Aplica-se 12x12cm internamente, depois é só levar em consideração a espessura da tabua e depois é só mandar bala na serra eletrica.

[ Figura-6 ] Fundo do ninho sendo montado
Observem a figura-6, nela podemos ver o momento em que a parte do fundo da caixa está sendo montada. Tudo se encaixa perfeitamente.












[ Figura-7 ] Modulos já montados
Quanto aos modulos de aumento, os famosos triangulos que compoem o fundo de cada um deles, já está cortados em peças individuais ( triangulo separado um do outro ), depois é só colar. O fundo da melgueira é simples, contendo alguns furos para permitir a passagem das abelhas.








[ Figura-8 ] Todas as peças soltas
Vejam que espetáculo !!!

Todas as peças disponiveis para a montagem de uma caixa racional modelo INPA para abelha Jatai, a figura-8 ilustra isso.

O fundo da melgueira está sem os furos ( nessa foto ). Mas antes de montar, eu fiz os furos ( a figura-7 mostra esse detalhe ).






[ Figura-9 ] Todas as peças prontas para embalagem
Na figura-9 podemos ver todas as peças prontas para embalagem. O volume é pequeno.

**********************************

Essa caixa foi um presente do meu amigo Pedro Ziti, o qual é profundo conhecedor da arte de Marcenaria.

Para entrar em contato com ele, basta ligar para:
(019) 8112-7919

**********************************  


Grande abraço e muito sucesso pra vocês.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Divisão de enxame de Jatai.

[Figura-1]  Enxame de Jatai ( caixa PNN )
Estamos na época  ideal ( primavera ) para fazer divisões de ASF ( Abelhas Sem Ferrão ).

Hoje ( 20/11/2012 ) apresenta um cenário favoravel para essa prática, sem vento, temperatura quente, sem chuva, um mormaço bem forte.  Não perdi tempo, me preparei para fazer a divisão de uma das Jatais que estava pronta para isso, e pronto, em poucos minutos tudo já estava terminado !!!

A divisão já estava feita.  Quando planejamos tudo com antecedencia, o processo se torna facil e seguro.

[Figura-2] Caixa PNN sendo aberta
Na figura-2 podemos ver o momento em que a caixa está sendo aberta. Notem que procuro colocar um plastico na ultima melgueira, justamente para facilitar a alimentação e as inspeções rotineiras.  O plastico além de trazer essas facilidades, também ajuda a manter a temperatura interna da colmeia.








[Figura-3] Involucro sendo retirado, discos aparente
A figura-3 mostra o momento em que começo a fazer a retirada do involucro para deixar os discos de cria bem aparente ( visivel ) para facilitar a procura de realeiras.  Essa etapa ( descobrir os discos de cria ) é bém delicada, pois temos que ter bastante calma e sensibilidade, pois podemos ferir as celulas de cria e as poucas realeiras que ali se encontram.







[Figura-4] Discos de cria já visiveis
Na figura-4 os discos de cria já estão bem descobertos ( sem involucro em volta ), então começamos a procurar pelas realeiras.  Lembrando que as realeiras ficam nas bordas dos discos, ainda bem que é dessa forma.  Já imaginaram se a realeira ficasse no meido dos discos !!!
Pode ter certeza de que a divisão não seria tão facil e rápida como estamos acostumados a ver e fazer.





[Figura-5] Parte dos discos de cria já retirados
Na figura-5 parte dos discos de cria já foi retirado do ninho, e no terceiro disco ( contando de cima pra baixo ) temos uma realeira.  Retirei os dois primeiros discos de cima, devolvi para a caixa mãe e os outros contendo a realeira foi para a caixa nova ( caixa filha ).









[Figura-6] Mais uma realeira visivel
Na figura-6 temos mais uma realeira, já em estagio de madura e pronta para nascer.  Abaixo do involucro, temos nova postura sendo desenvolvida, ou seja, os discos que retirei, estão maduros e prontos para nascer as abelhas.

Os restantes dos discos de cria que não foram para a caixa filha, foram devolvidos para a caixa mãe, exatamente em cima da postura nova, como está sendo visualizado na figura-6.




[Figura-7]  Caixa filha no lugar da caixa mãe.
Terminado a divisão, a caixa filha vai para o lugar onde estava a caixa mãe e a caixa mãe vai para um outro lugar um pouco distante da filha.

Viu só.

Quando planejamos tudo com antecedencia, o processo torna-se facil e rápido.

Como planejar !!!

1) Definir um lugar para caixa mãe;
2) Caixa nova pronta para receber a divisão;
3) Material necessário: fita crepe, formão, faca, recipiente para colher o mel caso estore algum pote.

Depois de algumas divisões, você acaba ficando "especialista" no assunto e depois as próximas se tornam muito simples e com certeza todas vão vingar, ou seja, dar certo.

Lembre-se:
Muita calma e paciência, os discos de cria são muito pequenos e requerem ser manuseados com mãos de fada, bem leve e suave. Procure fazer a divisão em lugar com sombra, para o sol não incomodar muito e também para a proteção das crias que estão desprotegidas nesse momento.