ola

Menu

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Caixa racional para Mandaçaia:

Caixa modelo INPA completo
Para a criação da abelha Mandaçaia, utilizamos um modelo de caixa racional INPA, que já é utilizada por muitos Meliponicultores, e vem dando excelente resultados.

As dimensões da caixa:
Ninho: 15 x 15 cm ( largura interna ), 9 cm altura
Extensão: 15 x 15 cm ( largura interna ), 7 cm altura
Melgueira: 15 x 15 cm ( largura interna ), 7 cm altura
Tabua com 2,5 cm espessura

Clique aqui para ver a caixa em uso ( enxame de Mandaçaia ).


                                                                             
Caixa INPA Mandaçaia vista por dentro
                                                                                                      Como a Mandaçaia é uma abelha menos populosa, tem menos indivíduos ( comparado com a Uruçu Nordestina ), usamos a parte do ninho, uma extensão e uma melgueira. Como o mdelo INPA possui o famoso quadrado no fundo da parte de extensão, isso ajuda a Mandaçaia a depositar os potes de polem e mel, fato esse que facilita muito no processo de divisão de enxames. Nas próximas caixas, estarei colocando varetas na parte superior da extensão, mantendo o mesmo alinhamento da parte inferior, pois tenho observado que durante o manejo ( multiplicação), os potes de mel e polem se rompem, devido os mesmos estarem "grudados" no fundo da parte imediatamente superior. Na foto ao lado, temos duas partes de extensão, somente uma parte é o suficiente.  Caso o enxame esteja muito forte, e vendo que há a necessidade de dar mais espaço, então acrescenta-se mais uma extensão.


Extensão vista por dentro
Parte extensora:
Quanto à parte extensora,não há muito segredo, na foto ao lado podemos ver o seu formato, olhando de frente. Para o encaixe do quadrado, faz-se um guia na madeira para servir de encaixe.








Extensão vista pelos fundos
                                                                                       Novamente temos a parte extensora, agora vista pelos fundos. Geralmente deixamos 5 mm entre o sulco e a parte final da tabua, se ficar com espessura menor, corre-se o risco de rachar / lascar a tabua.








Entrada da caixa para Mandaçaia
A entrada da colmeia:
Na foto ao lado temos uma visão da entrada da colmeia de Mandaçaia. O furo é confeccionado com 1 cm de diâmetro, pois a entrada e saída das abelhas é uma por vez, isso se justifica pelo fato de que as mesmas desenvolvem uma melhor proteção, pois qualquer intruso terá que passar por esse "buraquinho" e obviamente vão encontrar um guarda para dar um "cacete" nele. É sabido que as Mandaçaias costumam colocar barro em volta da entrada, fica com aquele famoso "rajado", característica da especie. O furo fica em diagonal, melhorando mais ainda a proteção para elas.

Melgueira vista de cima
                                                                                            Melgueira:
A parte destinada à melgueira, não é diferente das demais caixas racionais, tem o fundo com espaço nas laterais para que as abelhas possam circular livremente, e as varetas na parte superior, cuja finalidade é de evitar que os potes de mel "grudem" na tampa superior.
Geralmente as Mandaçaias não gostam de fazer os potes de mel nas melgueiras, elas confeccionam ao lado do ninho e nas partes do quadrado da parte extensora. Costumo colocar um plastico na parte da melgueira e lacrar com fita crepe. Quando for fornecer alimento, basta levantar uma ponta desse plastico e com um tubinho, coloca-se o alimento dentro do recipiente que já está lá dentro com os devidos "gravetos". Os gravetos evitam que as abelhas se afoguem durante o processo de alimentação.

Caixas de Mandaçaia e Uruçu Nordestina
Na foto ao lado temos a colmeia já contendo uma divisão ( caixa menor é de Mandaçaia, a maior é de Uruçu Nordestina ). A mesma foi instalada ao lado da colmeia de Uruçu Nordestina.
A caixa foi pintada com verniz na parte esterna, isso faz com que a mesma tenha uma durabilidade maior, tendo em vista que ela está exposta ao tempo, sofrendo com as condições climáticas ( sol, chuva ).
Também forneci um pequeno telhado, feito de resto de madeira ( aproveito tudo, pois madeira é madeira, é natureza, uma árvore foi derrubada para que virasse tabua ). O telhado também foi envernizado para dar maior durabilidade. Minhas colmeias ficam integradas junto à natureza, no meio das plantas, arvores, dessa forma consigo dar às abelhas uma condição de habitat bem natural. O pasto apícola é bem farto, evitando dessa forma ter que alimentar os enxames constantemente, onde as abelhas não ficam "preguiçosas", pois elas vão até a fonte de alimento na própria naturesa.